O que os humanos precisam aprender sobre machine learning ?

0
Share

O que os humanos precisam aprender sobre machine learning ?

As máquinas já aprenderam a mudar o mundo

A machine learning, ou aprendizado de máquina , é um dos eixos mais
importantes da Inteligência Artificial. E embora muitas vezes confundida
com esta, seu significado é bem mais específico.

Em termos simples, a machine learning ocorre quando um sistema
computacional é capaz de aprender a partir de sua própria
experiência e, a partir daí, modificar seu comportamento.
Isto é: quando uma máquina consegue, com o mínimo possível de
interferência humana, tomar melhores decisões ou aprimorar a
execução de uma tarefa determinada.

Para que isso aconteça, a máquina conta com aliados pra lá de especiais:
os algoritmos. Cada vez mais inteligentes, os algoritmos são
programados com objetivo de detectar padrões e prever
comportamentos a partir da análise de uma quantidade absurda de
dados – alguém falou em Big Data?

A machine learning e o Big Data – nascidos um pro outro
Os dados sempre estiveram por aí.
A diferença é que, hoje, poderosos sistemas conseguem coletá-los a todo
o momento em todos os lugares possíveis e, até, aparentemente, nos
impossíveis também. A essa imensa quantidade de dados e mais dados (e
mais dados e mais dados e mais dados…) dá-se o nome de Big Data.
Seja coletados nas redes sociais, nos mecanismos de busca, nos
históricos de compra, nas movimentações do tráfego, entre várias
possibilidades, todos os dados são, a princípio, desarticulados por sua
própria natureza. Eles são meras informações.

A machine learning aparece, assim, como complemento perfeito da
Big Data . Seus algoritmos já conseguem analisar profundamente um
oceano gigantesco de dados para construir conexões entre eles. E os
resultados são soluções reais e úteis para nossas vidas .

A machine learning já está no meio de nós
A machine learning está longe de ser uma promessa: ela já é realidade.
Um grande exemplo de sua presença em nossas vidas são os filtros
anti-spam. Depois de bilhões de exemplos de mensagens contendo
ofertas abusivas, vírus perigosos, entre outras ameaças virtuais, os
gerenciadores de e-mail mais sofisticados já conseguem, com uma
precisão respeitável, detectar aquilo que interessa ao usuário e aquilo
que é inútil para ele, de acordo com as suas experiências de uso.
Fruto de um trabalho gigantesco realizado por poderosos algoritmos,
os sistemas de tradução online como o Google Translate, também, já
surpreendem pelos resultados cada vez mais precisos e contextualizados
ao transportar um texto de um idioma para outro com apurada
competência, fugindo do clássico (e falho) pé-da-letra.

Aplicativos que geram rotas de trânsito também fornecem soluções cada
vez mais inteligentes para seus usuários, sendo capazes de prever
engarrafamentos e sugerir caminhos alternativos em questão de
segundos, de acordo com os objetivos de cada motorista.
A machine learning ainda tem muito para se desenvolver e um dos
caminhos de sua evolução passa pelo deep learning e pela construção de
redes neurais. Mas isso é assunto para outro artigo 😉